Chip de identificação

O Canil Encosta Verde mostra uma vez mais o seu pioneirismo. A  primeira ninhada a ser identificada com microchip no Rio Grande do Sul, pela Sociedade Gaúcha de Criadores de Cães Pastores Alemães, foi a de Zam von del Greck com Kila da Encosta Verde, criação do Canil Encosta Verde. Com o novo sistema, os filhotes já saem do Canil  classificados pelo mesmo número que constará do "Certificado de Autenticidade da Raça" (o Pedrigree), emitido pelo Clube Brasileiro do Pastor Alemão. 

O microchip Anjo da Guarda, desenvolvido pela empresa Animall Tag, é aplicado na nuca do cão. Revestido por uma capa de biovidro, ela não faz mal ao bichinho e a sua aplicação é realizada através de uma seringa especial, esterilizada.  

Com dimensão de 2mm de diâmetro por 12mm de comprimento, ela atende às normas internacionais garantidas, que regulamentam e que determinam a identificação por radiofrequência dos microchips implantados nos cães.

O microchip esterilizado possui memória adicional que, além do número de identificação do animal, guarda o ano das vacinações contra a raiva, leishmaniose, além de outras vacinas, exames e informações sobre se o animal foi castrado ou não.
O microchip é dotado de um número e de um código de barras, incluindo o cadastro do cão em base de dados na internet, sem custo para o proprietário. Acompanha ainda uma medalha com QR Code.